Fotos da Viagem

Alma do Rio Expedição Amazonas Fotos da Viagem Fundos de Tela Roteiro de Viagem

 

Um Brinde para você!

Programa

Aprenda Inglês Brincando

Mais de 2.000 palavras para  você

memorizar brincando. <<aqui>>

  

Essas fotos foram tiradas da varanda do quarto do hotel Amazon suit em Manaus que tem vista para o porto, onde passa o rio Negro.

 

 

Esse é o Mercado Municipal, onde funciona um centro de comercialização de produtos típicos do Amazonas.

Curso de Astrologia em DVD

Desvendando os segredos da personalidade humana

Com esse curso você irá interpretar o mapa natal de seus amigos e parentes, podendo ajudá-los a compreender suas angústias, explorar seus potenciais e entender as fases que estão vivenciando.

Você fará exercícios e provas pelo site, e receberá materiais complementares na área do aluno.

21 anos de experiência a serviço do seu aprendizado

Cada exercício e prova é analisado pelo Astrólogo Paulo Randow e devolvido para que você corrija os erros indicados até que esteja em condições de passar para a próxima aula.

Todos os meses você receberá convite para participar de webconferência com Paulo Randow, com temas que irá ampliar sua compreensão da Astrologia.

Saiba mais...

 

 

Nessas duas primeiras fotos pode ser vista a baía do rio Negro, na praia de Ponta Negra caracterizada por suas águas escuras. Destaque para a barraca de vendedores de passagens de barco, de frente para o Mercado Municipal, onde se consegue comprá-las a preços melhores.

 

 

Esse primeiro barco está levando pessoas para curtirem a praia de Tupé no domingo, com direito a muita música e animação. Sai cedo e só volta no final do dia. O segundo barco é o Comandante Paiva que nos levou para Parintins. Logo na saída foi abordado pela lancha da Marinha para uma vistoria de rotina.

 

 

O navio Comandante Paiva nos impressionou pela sua limpeza, organização e simpatia da tripulação. É servido café da manhã, almoço e jantar para os passageiros. Não se esqueça de comprar sua rede, pois é um não é oferecida nos barcos. Em qualquer cidade a oferta de redes é imensa, e variam de R$ 15,00 a R$ 180,00.

 

 

Essa primeira foto é de um posto de combustível que atende os navios e barcos que descem o rio. Nessa última foto você pode ver o encontro do rio Negro com o rio Solimões

 

 

Imagens da descida do rio Amazonas

 

 

Chegada ao porto de Parintins, cuja estrutura flutuante está fundeada numa profundidade de 120m através de oito âncoras de oito a trinta toneladas, reguladas automaticamente por possantes motores através de grossas correntes. Este é o ponto mais profundo do rio Amazonas segundo estudos do Ministério dos Transportes.

 

 

Parintins é a cidade da festa do boi Caprichoso de cor negra e estrela azul na testa (primeira foto) e boi Garantido de cor branca e coração vermelho na testa (segunda foto), que acontecem em final de junho e início de julho. A cidade se divide em duas áreas, uma com adornos azuis nas ruas e casas e outra com adornos vermelhos. Atualmente, ocorrem de algum morador ser torcedor da outra equipe, coloca algum detalhe da cor contrária. O sr. Porrotó, um dos remanescente dos fundadores do boi bumbá em Parintins, afirma que até pouco tempo, não havia moradores de uma zona da cidade que era torcedor do outro grupo. É muito comum ver os triciclos e moto táxi pelas ruas de Parintins carregando pessoas e mercadorias para vários lugares.

   

O barco Deus Proverá nos levou até Santarém. É um navio um pouco maior que o Comandante Paiva.  Os passageiros almoçando e a organização de redes.

 

 

 

 

Imagens do percurso até Santarém e parada para fiscalização da polícia federal e IBAMA.

   

   

Esse banner é uma foto da praia do Depósito em Alter-do-chão que fica a 30 Km de Santarém. Ela é formada pelo rio Tapajós caracterizado pela sua coloração esverdeada e transparente, atingindo outras colorações também. Nessa época do ano só é possível visualizar a cobertura dos quiosques, devido a cheia do rio. Nele podemos ver muitos botos como o Tucuxi e o Boto Rosa que são a marca da festa na cidade. A serra Piroca é um dos pontos onde se pode avistar uma parte da extensão do rio Tapajós, Alter-do-Chão e Santarém.

       

O Amazon Star foi o navio que nos levou de Santarém a Belém. Foram dois dias de viagem a bordo de um navio com capacidade para 850 pessoas e 80 mil toneladas de carga. O navio oferece ar condicionado na primeira classe, camarotes e no último andar tem chuveiros para tomar banho de água do rio.

 

 

Imagens do rio Amazonas e parada na Hidroviária Municipal de Gurupá. Crianças aproveitam para vender salgados dentro do barco.

 

 

No caminho nos deparamos com crianças ou mães e filhos, ribeirinhos que remam em pequenas canoas até o navio em busca de algum presente ou donativo por parte dos passageiros. Esse ritual já é conhecido e a todo momento se vê uma canoa se aproximando no trecho da região da Ilha de Marajó, nos canais que vão ligar o rio Amazonas ao rio Pará.

         

 

Algumas crianças remam até o navio e através de um arpão que é chamado por eles de "s", atracam nos pneus que ficam amarrados ao navio. Ali, meninos e meninas aproveitam para vender produtos da região como palmito extraído da palmeira do açaí, pupunha e outras frutas da região.

     

 

Das dez horas da manhã até as dezoito horas, presenciamos constantemente as canoas com crianças ou adolescentes que pediam ou vendiam suas mercadorias.

 

 

As casas dos ribeirinhos na região dos furos da Ilha de Marajó são construídas geralmente ao lado de um pequeno igarapé, pois com a elevação das águas sobre a influência das marés, os peixes entram nos igarapés e quando a maré abaixa, ficam presos em redes ou cercas colocadas no início da vazante pelos ribeirinhos. Assim, todos os dias, com a subida e descida da maré, o peixe fresco para a alimentação está garantido. A água salgada do mar não entra na região dos furos, mas represa a água do rio Amazonas ou do Pará, promovendo a alteração do nível da água. Alguns ribeirinhos plantam 365 pés de mandioca, e com a retirada da mandioca do dia, replantam o pé cortando um dos galhos novos, assim, garantem a cada dia a farinha para comer com o peixe, junto com as frutas abundantes na região, como o buriti, a pupunha, o ingá e o açaí.

 

 

Imagens do rio Pará, redes guardadas e chegada a Belém. Uma curiosidade que nos contou o Comandante do Navio Amazon Star, Sr. Raimundo: a chegada na baía da Ilha de Marajó, no rio Pará, é sempre uma apreensão para os passageiros que chegam a Belém, pois devido a influência do mar nos meses de setembro a fevereiro, com a época das vazantes dos rios Amazonas e Pará, ocorrem ondulações vindas do mar que fazem o barco balançar, sendo isto uma novidade para muitos, acostumados com a tranqüilidade das águas dos rios. O nível do mar em Belém varia em 3 metros e oitenta centímetros, devido sua proximidade da Linha do Equador, que sofre maior influência da força gravitacional da Lua e do Sol. Para uma comparação, na região do RJ e ES o nível do mar varia até 1 metro e 70 centímetros.

 

Fale com Gente  

Paulo Randow - Diretor Presidente - Cel: 27 9932-5791

 

Webmaster: Paulo Randow

Todos os direitos reservados / All rights reserved